10 perguntas e respostas sobre o curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPel

2 06 2014

1 – Há quanto tempo o curso está em funcionamento?

O Curso foi fundado em 2008 junto com o incentivo do Programa REUNIimplementado pelo Governo Federal, que ampliou ou criou novos cursos de graduação em instituições federais de ensino superior no Brasil. Desde então o curso já permitiu a conclusão de curso e obtenção do grau de Bacharel em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis para três turmas. No ano de 2013 o Curso foi reconhecido pelo INEP/MEC obtendo conceito 4 (Muito bom).

2- Quais os conhecimentos adquiridos pelos acadêmicos ao longo do curso?

De acordo com o Guia do Estudante da Editora Abril o Conservador-restaurador tem uma grande responsabilidade pelo tratamento executado em bens culturais, geralmente únicos e de grande valor artístico, religioso, histórico, científico, cultural, social ou econômico. O valor de tais objetos reside nas características de sua fabricação, em seu testemunho direto enquanto documento histórico e, portanto, em sua autenticidade. Estes objetos “são a expressão significativa da vida espiritual, religiosa e artística do passado, muitas vezes documentos de uma situação histórica, sejam obras de destacada importância ou simplesmente objetos da vida cotidiana”.

A realização de procedimentos de conservação e restauração por pessoas sem a necessária formação profissional pode ser nociva para os objetos dessa natureza. De forma inerente a todas as ações de conservação ou de intervenções de restauração, o conservador-restaurador deve trabalhar em colaboração com os responsáveis pelas coleções e com outros especialistas. Em conjunto eles devem tomar decisões para conservar ou a realizar intervenções que garantam a sua preservação e integridade.

O estudante de Conservação Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPel tem sua formação voltada para os trabalhos com os “bens móveis”, que podem ser, por exemplo, pinturas, esculturas, móveis, documentos, etc. O estudante não tem formação em restauro arquitetônico, que não é objeto do curso. Da mesma forma, não há similaridade curricular entre os cursos de Arquitetura e de Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis, esses dois cursos são muito distintos, além de pertencerem a unidades acadêmicas diferentes dentro da própria universidade.

3 – Quais as áreas de atuação do conservador-restaurador?

O Bacharel em Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis poderá atuar em instituições culturais, como museus, arquivos e bibliotecas, e também em ateliês particulares. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, institutos estaduais do patrimônio e as secretarias de cultura dos municípios são tradicionais empregadores. Mas há também trabalhos em centros de pesquisa, universidades e acervos particulares. Existem campos promissores de trabalho para o conservador-restaurador e eles são muito diversificados, tais como, por exemplo, a conservação preventiva, que busca adequar o ambiente em que os acervos se encontram para que eles não se danifiquem, a conservação de obras de arte, tanto em acervos públicos, privados ou particulares, dentre outros.

4 – Existem mais cursos da área no Brasil?

Universidades como a PUC de São Paulo e a Universidade Estácio de Sá do Rio de Janeiro oferecem cursos de tecnólogo na área de conservação e restauração, com ênfase na atividade prática. Já a Universidade Federal de Minas Gerais, assim como a Universidade Federal de Pelotas e a Universidade Federal do Rio de Janeiro, oferecem o curso de Bacharelado em Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis, que aproveita inúmeras atividades acadêmicas para fins de integralização curricular, portanto, oferecendo condições de acesso simultâneo ao conhecimento, às habilidades específicas e a formação na área de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis.

5 – Quais as áreas de conhecimentos envolvidas no curso da UFPel?

O Curso estrutura-se em três abrangências de conhecimento: 1 – conhecimento técnico/científico, 2 – domínio prático de trabalho, 3 – conhecimento humanístico.

O conhecimento técnico-científico foca questões relacionadas às propriedades químicas, físicas e biológicas dos Bens Culturais e suas relações com fatores internos e externos de degradação dos objetos, além das tecnologias aplicadas à conservação e restauro dos bens culturais, a partir de disciplinas como: Ambiente e Conservação, Materiais, técnicas e metodologia para Conservação e Restauro, Agentes biológicos de deterioração, Conservação e Restauro de Bens Culturais em Papel I e II, Conservação e Restauro de Bens Culturais em Madeira I e II, Conservação e Restauro de Pinturas I e II, Métodos de exame e análise dos materiais e Bens Culturais e Química aplicada à Conservação e Restauro. 

Com o domínio prático de trabalho, espera-se ampliar a capacidade de trabalho, a prática e a percepção artística, e o aprimoramento de habilidades manuais dos alunos, a partir das disciplinas de: Materiais e Técnicas de Bens Culturais I, II e III, Gestão do Patrimônio e Políticas Públicas de Preservação, Pesquisa Arquivística e Documental e Peritagem de Obra de Arte.

O conhecimento humanístico é necessário para que o conservador-restaurador reconheça o valor cultural daquilo com que trabalha, tenha posicionamento crítico em suas decisões e ações profissionais durante processos de conservação e restauração. Constitui-se pelas disciplinas de: Teorias da Conservação e do Restauro, Seminário de Orientação, Iconologia e Iconografia, História da Arte I e II e História da Arte no Brasil.

6- Qual é o objetivo das disciplinas optativas?

O principal objetivo das disciplinas optativas é a diversificação da formação do aluno, a partir do estudo em disciplinas de outros cursos, ou em disciplinas oferecidas pelo colegiado, tais como: História da Arquitetura, Conservação de Materiais Arqueológicos, Técnicas de Moldagem, História da Arte Decorativa, História da Arte Moderna e Contemporânea, Fotografia Aplicada à Conservação, Análise Crítica de Obra de Arte, Seminários Temáticos, Libras, História da Fotografia, Conservação de Materiais Orgânicos, História da Cultura Ocidental, Introdução a Conservação e Restauro de Materiais Cerâmicos, Introdução a Conservação e Restauro de Arte Contemporânea, Introdução a Conservação e Restauro de Têxteis, Introdução a Conservação e Restauro de Bens Culturais em Vidro, Introdução a Conservação e Restauro de Materiais Pétreos, Introdução a Conservação e Restauro de Pintura Decorativa, Introdução a Conservação e Restauro de Bens Culturais em Metal, Conservação e Restauro de Livros e Encadernação, Conservação e Restauro de Estuques.

7- O curso oferece projetos para auxiliar os alunos no cumprimento das atividades complementares, exigida para a sua formação?

Sim. O curso desenvolve diversos projetos de extensão, ensino e pesquisa, atividades que podem ser validadas como complementares. Através destes projetos os alunos ampliam seus conhecimentos, colocam em prática os assuntos abordados em aula e qualificam o curso a partir das trocas de experiência. Alguns desses projetos são desenvolvidos pelo PET (Programa de Educação Tutorial) do curso de Conservação e Restauro, tais como: A Semana de Conservação e Restauro, a Oficina de Ciências, a Calourada, Aula Inaugural. Todos os estudantes do curso devem integralizar 330 horas de atividades complementares obrigatórias ao longo de sua formação.

8- Em que período os alunos poderão fazer o estágio obrigatório?

Todos os estudantes do curso deverão realizar um estágio curricular obrigatório que poderá ser feito a partir do 5º semestre, com 150 horas de duração.

9- Quanto tempo dura o curso?

O curso tem duração mínima de três anos e meio (sete semestres). Apresenta carga horária mínima de 2400 horas, constituída por 1972 horas/aula de disciplinas obrigatórias e 331 horas/aula de disciplinas optativas. Além disso, os estudantes devem também realizar 330 horas em atividades complementares e 150 horas de estágio curricular obrigatório.

10 – Qual o turno de funcionamento do curso?

As aulas são no período noturno, mas o estágio e atividades complementares em geral são realizadas durante o dia.

11 – Como é o processo de seleção?

São 36 vagas disponibilizadas pelo SISU no meio de ano. O estudante para concorrer a vagas no curso deverá realizar o ENEM. A nota obtida no ENEM será utilizada para a disputa de vagas no SISU, normalmente no primeiro semestre de cada ano. Não há teste de habilidade específico, ou outras formas regulares de ingresso.

Por Cristiane Rodrigues

 Informações sobre o Guia do Estudante.

<http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/artes-design/conservacao-restauro-684654.shtml>. Acesso em 30/05/2014.


Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: