A internet como novo meio de acesso aos Museus.

12 12 2014

O aumento de usuários da internet fez com que os museus passassem a se modernizar. Atualmente, a maioria deles possuem páginas que informam desde a trajetória do museu, até o acervo que lá se encontra preservado. Essa modernização tem seus pontos fortes e fracos, tais como: o museu virtual passa a atingir os visitantes virtuais que podem nunca ter tido a possibilidade de visitar certo museu pessoalmente. Como ponto fraco, podemos citar o fato de que para alguns museus, especialmente museus de arte que apreciam o “real”, pode não ser uma ideia agradável tornar-se virtual.

A internet também traz uma nova percepção de acervo, isso porque segundo o discente do Bacharelado em Museologia da UFPel Rafael Teixeira Chaves, criador do museu virtual “Museu das coisas banais”, o que é importante e memorável para mim, pode ser “banal” para outra pessoa, termo este que deu nome ao museu. Atualmente, Rafael conta que recebe em sua página, inúmeros objetos e até um piercing já esteve por lá, conta Rafael.

O museu é um local de preservação e exposição de objetos memoráveis. A internet neste caso desenvolve o papel de preservação fazendo com que a memória não se esvaia nos meios digitais. As fotografias digitais são um grande exemplo. Na década de 70, por exemplo, as fotografias por serem caras, existiam em pequenas quantidades. Hoje, basta ter um telefone móvel em mãos que serão armazenadas centenas de fotografias, algumas se perderão por algum problema tecnológico no aparelho e outras serão salvas no computador e, talvez, não lembraremos onde foram tiradas e nem o momento importante que fez com que elas fossem retratadas. Cabe pontuar, é claro, que a migração das imagens para diferentes suportes e tecnologias constitui-se como um desafio para a preservação dessas memórias.

https://www.facebook.com/pages/Museu-das-Coisas-Banais/509757732488621

Por Cristiane Rodrigues





Fototeca Memória da UFPel, recebe novo acervo.

12 12 2014

A Fototeca Memória da UFPel, existe desde o ano de 2009, sendo que no ano de 2011 migrou para o departamento de Museologia, Conservação e Restauro do Instituto de Ciências Humanas, mantendo-se como projeto de extensão continuo, vinculado aos Cursos de Museologia, Conservação e Restauro e ao Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural. A Fototeca recebeu no último dia 02 de outubro, o acervo da Coordenadoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Pelotas/RS. Este  acervo é composto por 5.520 fotografias em preto e branco e coloridas. Algumas apresentam danos e precisarão passar por um processo de restauração. O restante das fotografias será devidamente acondicionado. De acordo com a acadêmica Cristiane Rodrigues e estagiária da Fototeca Memória UFPel, as fotografias que compõem o acervo são datadas a partir da década de 70, e depois que elas passarem pelos processos de: Higienização e acondicionamento, serão sistematizadas e disponibilizadas uma plataforma digital para que futuramente sirvam como fontes de pesquisa. A UFPel passará a ter um arquivo memorável e que contará uma parte da história da universidade até o ano de 2004. Fazem parte deste projeto de ensino, cujos orientadores são a professora Francisca Michelon do curso de Conservação e Restauro, a coordenadora do curso de Conservação e Restauro Silvana Bojanoski e a professora do curso de Museologia Nóris Leal, os discentes: Ana Carolina Behling do curso de Conservação e Restauro, Carolina Tavares do curso de Museologia, Claudia Bitencourt do curso de Conservação e Restauro, Eloisa de Oliveira do curso de Conservação e Restauro, Mirella Borda do curso de Conservação e Restauro, Pamela Pereira do curso de Conservação e Restauro, Larissa Rodales do curso de Conservação e Restauro, Tarsila Rizzi do curso de Conservação e Restauro e Thiago Petitot do curso de Museologia.

Por Cristiane Rodrigues

fototeca

Na foto (da direita para esquerda):Kátia Helena Dias, da coordenadoria de comunicação social, orientadora Francisca Michelon do Curso de Conservação e Restauro, os discentes Cristiane Rodrigues, Pamela Pereira, Eloisa do Carmo, Thiago Petitot, Tarsila Rizzi, Carolina Tavares, Claudia Bitencourt e Larissa Rodales.

http://ccs2.ufpel.edu.br/wp/2014/10/03/acervo-fotografico-da-ccs-sera-sistematizado-pela-fototeca/





Visita ao Museu Histórico Farroupilha

12 12 2014

No dia 25 de outubro, a turma do primeiro semestre do Curso de Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas, acompanhada pela professora Isabel Halfen Torino, participou de uma visita técnica ao Museu Histórico Farroupilha, em Piratini-RS. O prédio visitado, construído em 1818, foi sede provisória do Ministério da Guerra da República Rio Grandense durante a Guerra dos Farrapos, que ocorreu no Rio Grande do Sul, de 1835 a 1845. Desde 1953, quando foi inaugurado, o Museu Histórico Farroupilha abriga coleções de têxteis (fardas, lenços, leques), metais (armas, moedas, objetos utilitários), couro (baús, palmatórias, trajes típicos), papel (livros, documentos, mapas), pinturas em telas, louças, entre outros objetos relacionados à Revolução Farroupilha e aos personagens que dela fizeram parte.

Esta foi a primeira oportunidade para os alunos, que ingressaram há poucos meses no curso, apreciarem uma instituição de preservação de acervos já com o “olhar” direcionado aos conhecimentos adquiridos na disciplina de “Ambiente e Conservação”.

Na ocasião, foi preenchida uma ficha de diagnóstico em que os alunos observaram questões relativas ao edifício (aspectos construtivos e ambientais) e ao acervo (aspectos expositivos, de guarda e conservação).  O objetivo dessa ficha é proporcionar aos acadêmicos dados suficientes para a compreensão dos agentes ambientais, sua relação com os demais fatores de degradação e, ainda, sua correlação com a correta conservação dos bens culturais móveis.

A turma que visitou o Museu Hsitórico Farroupilha é composta pelos discentes André Cruz, André Maragno, Andres Goulartt, Andressa Puls, Andrew Monteiro, Andy Hellen Real, Carmen Antonieta Fernandes, Clovis Madruga, Daniela Feter, Eduardo Santos, Julia Barros, Lindsay Taveira, Lucia Inez Quevedo, Luísa Corrêa, Moises Gustavo Brum, Naira Morales, Paula Azevedo, Renata Paschoa, Rubimar Vieira, Samuel Quaresma, Sidnei Jorge Junior, Silvia Brum, Veronica Moura, William Novo e Yasmin Freitas.

Após a visita, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer o centro histórico da cidade de Piratini que, embora pequeno, conta com um expressivo conjunto arquitetônico tombado pelo IPHAN-RS.

Por Profª Isabel Halfen da Costa Torino

Colaboração de Cristiane Rodrigues

??????????





Estudante do Curso de Conservação e Restauro recebe prêmio na categoria multidisciplinar do CIC.

12 10 2014

O trabalho intitulado Diagnóstico, Análise e Sistematização das Coleções Arqueológicas do LEPPARQ sob a Perspectiva da Conservação, apresentado no CIC pela discente Paula de Aguiar Silva Azevedo, elaborado em conjunto com a discente Julia Xavier Barros e pelos docentes Karen Velleda Caldas, Isabel Halfen, Veronica Coffy Bilhalba dos Santos e Rafael Guedes Milheira, teve como principal objetivo a readequação da reserva técnica do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal de Pelotas – LEPAARQ.
Com vistas à conservação dos bens arqueológicos dos quais o laboratório é responsável, um dos campos de interesse a ser colocado no banco de dados refere-se às informações do estado de conservação das coleções. Através desse levantamento pode-se conhecer melhor como as diferentes tipologias de materiais se comportam no ambiente em que estão inseridas e estabelecer critérios de como melhor adequá-las.
É notório que as condições de uma reserva técnica nem sempre são as ideais, entretanto é indispensável à observação dos materiais, pois mesmo em condições adversas, as coleções podem se apresentar estáveis. Até mesmo a mudança de um ambiente, em princípio inadequado, para outro mais controlado, deve ser muito bem planejada e estudada para que outros artefatos não sofram e reajam com mais alterações, decisões que devem ser baseadas num extenso acúmulo de informações e pautadas por análise crítica criteriosa.
Esse trabalho prevê a recolha desses dados tanto através do desenvolvimento de fichas técnicas adequadas ao acervo, diagnóstico de suas coleções, bem como da associação dessas informações com os dados obtidos no monitoramento do ambiente da reserva técnica.
Este trabalho mostra a importância da interdisciplinaridade dentro de nossa área de atuação, visto que o mesmo foi desenvolvido em conjunto com o curso de Conservação e Restauro e o curso de Arqueologia. Em nossa área é importantíssimo à troca de conhecimento para uma intervenção adequada e uso correto dos materiais empregados. Parabenizamos a todos os envolvidos neste belíssimo trabalho.

10699123_944853132208332_1295357847_n

Na foto a discente Paula de Aguiar Silva de Azevedo, premiada na categoria multidisciplinar.

Por Cristiane Rodrigues





O dia em que o Patrimônio é apreciado.

13 09 2014

O Dia do Patrimônio, evento organizado pela prefeitura municipal de Pelotas, ocorreu nos dias 16 e 17 de agosto, buscando tornar mais fácil o acesso do público para alguns dos patrimônios culturais da cidade de Pelotas/RS. A extensa programação do Dia do Patrimônio de 2014 enfatizou a herança cultural africana, com 102 atividades, distribuídas em 38 locais, com exposições, visitas guiadas, feiras, vivência griô, dança, dança afro, hip hop, capoeira e mostra fotográfica.
O Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas esteve presente em diversas atividades desenvolvidas nos Casarões 02 e 06, tombados a nível federal e localizados na Praça Coronel Pedro Osório. Os discentes puderam tornar público, por exemplo, o projeto de extensão desenvolvido em conjunto com a Secretaria de Cultura da cidade. Coordenado pela doutoranda em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Francine Tavares, os discentes tiveram a oportunidade de evidenciar a importância do projeto intitulado: Comunicação Visual em Prédios Históricos também é legal para o público presente, que é baseado em uma lei aprovada no município no ano de 2009. Trata-se da lei nº 5.639 que dispõe sobre a veiculação de anúncios em aparato publicitário na paisagem, expostos em locais visíveis publicamente no município de Pelotas/RS.
Pelotas é uma cidade rica em patrimônio cultural, principalmente pela presença de importantes prédios históricos construídos entre o final do século XIX e meados do século XX. As intervenções nestes imóveis devem atender os regramentos estabelecidos por lei. Os aparatos publicitários deverão ser dispostos em harmonia valorizando a identidade e a memória cultural da cidade, o mesmo não pode obstruir elementos compositivos da fachada, inclusive vãos de iluminação e ventilação. Toda instalação de aparato publicitário com área superior a 0,80m² deverá ter um responsável e ser precedida de autorização da secretaria municipal competente. A adequação dos aparatos publicitários favorecerá a percepção da paisagem urbana e evitará a poluição visual.
Também foram expostas duas carruagens fúnebres de 150 anos pertencentes ao Museu da Baronesa. Discentes e conservadores-restauradores acompanharam o processo de deslocamento, higienização e exposição das carruagens. Em se tratando de pinturas, o restante das obras restauradas pelos discentes da disciplina de Pintura II nos anos de 2013 e 2014, ministradas pela Profª Andréa Bachettini, também foram expostas. As pinturas restauradas pertencem ao Acervo do Paço Municipal da Prefeitura de Pelotas. Tratam-se de pinturas de artistas importantes do século XIX e XX de nossa cidade e região. Quanto à temática destacam-se obras de paisagens urbanas e rurais, retratos, nus e natureza morta. Dentre elas: Vaso com Flores de Ináh D’Ávila Costa, Paisagem Urbana de Nestor Marques Rodrigues, Paisagem Urbana de E. Casarias, Paisagem Rural de Carlos A. Petrucci, Paisagem Campanha de Nestor Marques Rodrigues, Paisagem de Libindo Ferraz, J. Barreiros, Nu de Leopoldo Gotuzzo, Retrato de Gaspar Silveira Martins de Guilherme Litran y Cassinelo, Espanhola de Hilda Mattos, Retrato de Domingos José de Almeida de Frederico Trebbi, Chafariz Praça Coronel Pedro Osório de Genuíno, Camponesa de Hilda Mattos, Série Casarios “Torres da Capela da Santa Casa de Pelotas de Arlinda Nunes, Monte Bonito de Adail Bento Costa, A margem do Rio Negro de Ângelo Guido, Sobre La Roma de Silvio Russo. Destacaram-se também, as atividades práticas desenvolvidas na disciplina de Introdução à Conservação e Restauração de Pinturas decorativas, com o objetivo de mostrar a comunidade as técnicas de pintura mural, características de nossa arquitetura.
É importante destacar que estes projetos apenas fazem sentido se elaborados a partir da compreensão da realidade local e dos anseios da comunidade. Apenas projetos participativos possibilitam que os bens patrimoniais favoreçam que o passado possa ser apropriado no presente de forma a fortalecer a comunidade.

Dia do Patrimônio Blog

Colaboração: Andréa Bachettini

Por Cristiane Rodrigues





Restauração de pinturas pertencentes ao Acervo do Paço Municipal da Prefeitura de Pelotas

20 07 2014

Em comemoração aos 202 anos da cidade de Pelotas/RS, foi inaugurada no dia 07 de julho a exposição com pinturas restauradas pertencentes ao Acervo do Paço Municipal da prefeitura de Pelotas. Foram restauradas dezoito obras no total, porém, somente oito ficarão expostas, na medida em que as demais estarão em exposição que será realizada no Dia do Patrimônio, dia 16 de agosto.
Segundo a coordenadora do projeto, Profª Andréa Bachettini, a exposição trata-se de um Projeto de Extensão que apresenta o resultado do trabalho desenvolvido com os alunos do curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPel nas disciplinas de Pintura II nos anos de 2013 e 2014. Além da documentação, higienização e restauração do acervo, as obras que basicamente retratavam paisagens urbanas e rurais, retratos nus e naturezas mortas, passaram por diversos procedimentos ao longo do restauro, tais como: exames com luzes especiais, higienização das camadas pictóricas fixadas, consolidação de suportes e molduras, remoção de repinturas, reintegrações pictóricas e aplicação de camada de proteção para dar uma estabilidade maior ao trabalho. Além disso, foram realizadas desinfestações, devido à presença de insetos xilófagos.
Este trabalho, fez com que os discentes do curso de Conservação e Restauração da Universidade Federal de Pelotas pudessem através da prática mostrar os conhecimentos adquiridos durante as aulas e trazer de volta para a apreciação do público obras de grande valor histórico e artístico de importantes artistas dos séculos XIX e XX.
A exposição ficará aberta à visitação até o dia 25 de Julho, no Casarão nº6 da Praça Coronel Pedro Osório.

Por Cristiane Rodrigues

Fotos: Andréa Bachettini

995466_651783454836615_679677792_n1558401_535605823229602_466103695642440430_n





Passeio Cultural em Porto Alegre

23 06 2014

No dia 07 de Junho a turma do 4º Semestre do Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas composta pelos discentes (as) Ana Carolina Behling, Cacilda Araújo, Claudia Carvalho, Cristiane Rodrigues, Dulce Dias, Eduardo Araujo, Eduarda Peres, Francielen Xavier, Júlia Cavalliei, Mirella Borba, Rosangela Tavares, Sidnei Júnior, Sonia Garcia e Vera Cazaubon, fizeram um passeio cultural pela cidade de Porto Alegre, contemplando prédios históricos e visitando os museus da cidade. A visita foi mediada pelo Professor Roberto Heiden tendo sido muito proveitosa de acordo com os participantes.

Os alunos puderam ver de perto obras de artistas importantes e o centro histórico da cidade, uma oportunidade de revisar os conteúdos aprendidos dentro da sala de aula, nas disciplinas de história da arte, ministradas pelo Professor Roberto Heiden. Os discentes prestigiaram o MARGS (Museu de Arte do Rio Grande do Sul), o principal museu de arte do Estado e um dos mais importantes do país. Seu acervo reúne mais de 2.800 obras de artistas nacionais e internacionais, compondo um panorama dos movimentos artísticos da arte brasileira ao longo do século XX e, sobretudo, das artes visuais no Rio Grande do Sul, desde os seus primórdios, no século XIX, até os dias atuais.

Em uma visita ao Santander Cultural, os discentes tiveram a oportunidade de prestigiar as obras de Vik Muniz, cuja exposição se intitulava: O Tamanho do Mundo. Essa exposição apresenta cerca de 70 obras desse notável artista com a curadoria da reconhecida crítica de arte Ligia Canongia. A exposição apresenta trabalhos marcantes como a Caveira de Palhaço, de 1989, que faz parte da série Relicário.

Além disso, os alunos passaram pela Casa de Cultura Mário Quintana e pela Fundação Iberê Camargo.

Por Cristiane Rodrigues

Informações sobre as Instituições:

http://www.cultura.rs.gov.br/v2/instituicoes-sedac/instituto-22/

http://www.santander.com.br/portal/wps/script/templates/GCMRequest.do?page=6876&entryID=7812

http://www.ccmq.com.br/

http://www.iberecamargo.org.br/site/default.aspx

Imagem








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.140 outros seguidores